O DIA: Black Friday começa agora

Filtro contra falsas ofertas e pesquisa prévia garantirão até 80% de desconto em lojas virtuais.

A quarta edição brasileira do Black Friday, espécie de saldão online, acontece em 29 de novembro, mas para quem quer garantir os até 80% de descontos, a compra começa agora. O ideal é desde já pesquisar os preços dos produtos cobiçados e, na data, apenas fechar negócio se comprovar real redução. A organização do evento já montou esquema especial para combater maquiagem de preços e falsas promoções.

A liquidação nas lojas virtuais deve movimentar R$340 milhões em vendas, ou 50% a mais do que em 2012, quando o faturamento atingiu R$ 217 milhões. Serão 24 horas de ofertas com 120 lojas. Os consumidores devem acessar www.blackfriday.com.br e se cadastrar.

Idealizador do evento, o empresário Pedro Eugenio afirmou que todas as ofertas passarão por um filtro rigoroso, para que sejam publicadas somente as que possuam descontos reais. Isto porque na edição anterior algumas empresas aumentaram o preço dias antes do saldão para reduzirem ao patamar anterior na data do evento. “O Instituto Sieve, especializado em inteligência de precificação, fará a identificação da veracidade das ofertas”, disse.

Eugenio administra o portal Busca Descontos, que é o organizador do Black Friday Brasil. Ele acrescentou que o site ReclameAqui vai ceder um canal exclusivo para que o usuário possa denunciar ou reclamar sobre possíveis incoerências nos preços.

LIQUIDAR ESTOQUES

“Trata-se de uma ótima oportunidade para lojas liquidarem seus estoques”, ressaltou Eugenio, para quem os itens mais procurados devem ser produtos eletrônicos, de informática, celulares, eletrodomésticos e games.
Diretor geral da E-bit, especializada em comércio eletrônico, Pedro Guasti prevê um milhão de pedidos para o Black Friday Brasil, com tíquete médio das compras em torno de R$ 390. “O consumidor precisa ter cautela, verificando a idoneidade das lojas”, disse.

Com autorregulamentação

De acordo com o diretor do portal Busca Descontos, Pedro Eugenio, a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net) ficou responsável pela autorregulamentação do Código de Ética para o Black Friday Brasil 2013. As lojas virtuais que aderirem ao texto se comprometem a anunciar ofertas reais na ação. “Caso a empresa não cumpra com o acordo, poderá sofrer suspensões”, disse, acrescentando que o código estará disponível na página do evento.

Em 2012, algumas das principais varejistas do país foram notificadas pelo Procon. Extra, Submarino, Americanas.com, Walmart, Saraiva e Fast Shop, entre outras, apresentaram ofertas incoerentes naquela edição, segundo o órgão fiscalizador.

Especialista em direito do consumidor, José Alfredo Lion esclareceu que as principais queixas são quanto a promoções falsas e problemas com entregas e trocas. “É importante ressaltar que mesmo comprando na promoção, os direitos são os mesmos, todos garantidos pelo Código de Defesa”, explicou.

Fonte: http://odia.ig.com.br/noticia/economia/2013-11-12/black-friday-comeca-agora.html